segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Novena, história e oração a São Gabriel Arcanjo

História da devoção: São Gabriel Arcanjo é conhecido por aparecer na Anunciação do Anjo a Maria (Lucas 1, 26-38) e na Anunciação do Nascimento de João Batista (Lucas 1, 19). Ele aparece também no livro de Daniel 9, 24-26 onde Interpreta a visão profética do bode e do carneiro (Daniel 8: 15-26) e explica a previsão das setenta semanas de anos de exílio de Jerusalém. Muitos estudiosos da Bíblia acreditam que São Gabriel também seja o Anjo que apareceu em sonhos a São José para que aceitasse Maria por esposa (Mateus 1, 18-25) e na fuga para o Egito (Mateus 2, 13-23). Também acreditam que São Gabriel seja o Anjo que apareceu a Jesus no Jardim das Oliveiras: “Apareceu-lhe um Anjo do Céu e o confortou.” (Lucas 22, 43) E também que ele seja um dos Anjos que anunciou a Ressurreição para as mulheres no Santo Sepulcro (Lucas 24, 1-8) e esteve na Ascensão de Jesus diante dos apóstolos (Atos 1, 4-11).

Festa de São Gabriel Arcanjo: 24 de março (antiga) e festa nova e definitiva em 29 de setembro:

Padroeiro: trabalhadores de telecomunicações, trabalhadores de rádio, mensageiros, trabalhadores dos correios, clérigos, diplomatas, colecionadores de selos, Portugal, Santander (Cebu, Filipinas), Cebu, embaixadores.

Novena a São Gabriel Arcanjo:

Oração para todos os dias: "Glorioso São Gabriel Arcanjo, Anjo da Encarnação e da Salvação, salvai nossas almas, os agonizantes, os pecadores, os incrédulos e os infelizes. Iluminai a Igreja, a evangelização e os sacerdotes. Detenha a ira divina sobre nós. Trazei-nos a misericórdia de Deus e os dons do Espírito Santo. Conduzi-nos à Paixão de Jesus e as Dores de Maria Santíssima. Dai-nos a força e santidade nesta vida para chegarmos ao Céu."

sábado, 24 de setembro de 2016

Novena, história e oração a São Rafael Arcanjo

Patrono: dos enfermos, cegos, viajantes e noivos.

História e devoção: São Rafael Arcanjo é o Anjo da cura. Ele é citado no Livro de Tobias. Rafael ajudou o jovem Tobias durante sua viagem aparecendo como um simples e belo jovem viajante acompanhando-o em sua viagem. Em Tobias 6,3, Rafael tira o fel do peixe para curar a cegueira de Tobit, por isso, é representado segurando um peixe. No capítulo 12, Rafael se dá a conhecer dizendo: "Eu sou Rafael, um dos sete santos Anjos que assistem e têm acesso à majestade do Senhor". São Rafael não é mencionado no Novo Testamento, mas a tradição o identifica como o Anjo que agitava as águas em João 5,4. Rafael também é figura proeminente nos costumes do Judaísmo. Ele é um dos três Anjos que visitaram Abraão antes da devastação física de Sodoma e Gomorra. Sua festa é celebrada no dia 29 de setembro, junto com a dos Arcanjos São Gabriel e São Miguel. Você pode acompanhar a linda história de São Rafael no Livro de Tobias lendo a Novena a seguir.

Novena a São Rafael Arcanjo:

Oração a São Rafael Arcanjo: (Para todos os dias) "Glorioso São Rafael Arcanjo, Anjo da cura e do divino amor, Vós curastes Tobit da cegueira, curai também nossas doenças do corpo e da alma. iluminai os hospitais, médicos, enfermeiros e os que cuidam dos doentes. Providenciai novos medicamentos para cura e alívio das doenças. Vós ajudastes o jovem Tobias na viagem. Protegei todos os viajantes e missionários. Vós ajudastes Sara em seu noivado. Socorrei todos os noivos, os casados e os tentados. Livrai nossas famílias da divisão e da discórdia. Amém."

(Rezar Pai-nosso, Ave Maria e Glória)

Primeiro dia: (Tobias 2, 1-18. 3,1) Tobit fica cego: “Algum tempo depois, num dia de festa religiosa, foi preparado um grande banquete na casa de Tobit. Ele disse então ao seu filho: ‘Vai buscar alguns homens piedosos de nossa tribo, para comerem conosco.’ Ele saiu, mas logo voltou, anunciando ao pai que um dos filhos de Israel jazia degolado na praça. Tobit levantou-se imediatamente da mesa, sem nada haver comido, e foi aonde estava o cadáver. Tomou-o e levou-o clandestinamente para a sua casa, a fim de sepultá-lo com cuidado depois do sol posto. Tendo escondido o cadáver, começou a comer com pranto e tremor, lembrando-se do oráculo que o Senhor tinha pronunciado pela boca do profeta Amós: 'Vossas festas mudar-se-ão em luto e lamentações’ (Amós 8, 10). Quando o sol se pôs, ele foi e o sepultou. Seus vizinhos criticavam-no unanimemente. Já uma vez ordenaram que te matassem, precisamente por isso, e mal escapaste dessa sentença de morte, recomeças a enterrar os cadáveres! Mas Tobit temia mais a Deus que ao rei, e continuava a levar para a sua casa os corpos daqueles que eram assassinados, onde os escondia e os inumava durante a noite. Ora, aconteceu que um dia, cansado desse trabalho, voltou para a sua casa e deitou-se junto à parede onde adormeceu. Enquanto dormia, caiu-lhe de um ninho de andorinhas esterco quente nos olhos, e ele tornou-se cego. Deus permitiu que lhe acontecesse essa prova, para que a sua paciência, como a do santo homem Jó, servisse de exemplo à posteridade. Como havia sempre temido a Deus, desde a sua infância, e guardado seus mandamentos, ele não se afligiu nem murmurou contra Deus por ter sido atingido pela cegueira. Mas perseverou firme no temor de Deus, e continuou a dar-lhe graças em todos os dias de sua vida. Assim como o bem-aventurado Jó foi insultado por outros chefes, assim seus parentes e amigos escarneciam de seu comportamento: ‘Onde está, diziam eles, essa esperança por cujo amor deste esmolas e sepultaste os mortos?’ Porém Tobit repreendia-os, dizendo: ‘Não faleis assim. Somos filhos dos santos patriarcas, e esperamos aquela vida que Deus há de dar aos que não perdem jamais a sua confiança nele.’” 

Segundo dia: (Tobias 3, 7-11. 24-25) Sofrimento de Sara, filha de Raguel e Edna: “Aconteceu que, precisamente naquele dia, Sara, filha de Raguel, em Ecbátana na Média, teve também de suportar os ultrajes de uma serva de seu pai. Ela tinha sido dada sucessivamente a sete maridos. Mas logo que eles se aproximavam dela, um demônio chamado Asmodeu os matava. Tendo Sara repreendido a jovem criada por alguma falta, esta respondeu-lhe: ‘Não vejamos jamais filho nem filha nascidos de ti sobre a terra! Foste tu que assassinaste os teus maridos. Queres porventura matar-me, como mataste todos os sete?’ Ouvindo isso, Sara subiu ao seu quarto e aí ficou três dias completos, sem comer nem beber. E, orando com fervor, ela suplicava a Deus, chorando, que a livrasse dessa humilhação. Estas duas orações foram ouvidas ao mesmo tempo, diante da glória do Deus Altíssimo. E um santo anjo do Senhor, Rafael, foi enviado para curar Tobit e Sara, cujas preces tinham sido simultaneamente dirigidas ao Senhor.” 

Terceiro dia: (Tobias 4, 1-2. 21-23. 5, 4-22.) Tobias encontra o Anjo Rafael: “Tobit, julgando que sua prece tinha sido atendida e que ia morrer, chamou junto de si o seu filho e disse-lhe: 'Ouve, meu filho, as palavras que te vou dizer, e faze que elas sejam em teu coração um sólido fundamento. Faço-te saber também, meu filho, que quando eras ainda pequenino, emprestei a Gabael de Ragés, cidade da Média, uma soma de dez talentos de prata, cujo recibo tenho guardado comigo. Procura, pois, um meio de ir até lá para receber o sobredito peso de prata, restituindo-lhe o recibo. Procura viver sem cuidados, meu filho. Levamos, é certo, uma vida pobre, mas se temermos a Deus, se evitarmos todo o pecado e vivermos honestamente, grande será a nossa riqueza. Vai procurar um homem de confiança que te possa acompanhar, mediante uma retribuição. É preciso que recebas esse dinheiro enquanto ainda estou vivo.’ Apenas saíra, Tobias encontrou um jovem de belo aspecto, equipado como para uma viagem. Sem saber que se tratava de um anjo de Deus, ele o saudou e disse-lhe: ‘De onde és tu, ó bom jovem?’ Ele respondeu: ‘Sou israelita.’ Tobias perguntou-lhe: ‘Conheces porventura o caminho para a Média?’ Respondeu ele: ‘Oh, muito! Tenho percorrido freqüentemente esse caminho. Hospedei-me em casa de Gabael, nosso compatriota que habita em Ragés, na Média, cidade que está situada na montanha de Ecbátana.’ Tobias disse-lhe: ‘Rogo-te que esperes por mim, enquanto vou anunciar isto a meu pai.’ Tendo Tobias entrado e contado o sucedido ao seu pai, este ficou muito admirado e pediu que fizesse entrar o jovem. Ele entrou e saudou a Tobit: ‘A felicidade esteja contigo para sempre!’ Ao que Tobit respondeu: ‘Que felicidade posso eu ter ainda? Estou nas trevas, sem poder ver a luz do céu.’ O jovem replicou-lhe: ‘Tem ânimo, porque é fácil a Deus curar-te!’ Tobit disse-lhe: ‘É verdade que poderás conduzir meu filho à casa de Gabael, em Ragés, na Média? Quando voltares, eu te retribuirei por isso.' Então o anjo disse-lhe: ‘Eu o levarei até lá e to reconduzirei.’ Tobit então perguntou-lhe: ‘Rogo-te que me digas de que família e de que tribo és tu? O anjo respondeu: ‘Que é que procuras: a raça do servo, ou o próprio servo para acompanhar teu filho? Mas, para tranqüilizar-te: eu sou Azarias, filho do grande Ananias.’ 'És de família distinta, respondeu Tobit. Rogo-te que não me queiras mal por ter querido conhecer tua origem.' O anjo então disse: ‘Conduzirei o teu filho são e salvo, e to trarei de novo são e salvo.’ Tobit respondeu: 'Boa viagem! Que Deus esteja em vosso caminho, e que o seu anjo vos acompanhe.' Fizeram em seguida suas bagagens, Tobias despediu-se de seu pai e de sua mãe e os dois viajantes partiram.” 

Quarto dia: (Tobias 6, 1-9) Rafael na viagem com Tobias: “Tobias partiu, pois, seguido de seu cão, e deteve-se na primeira parada à beira do rio Tigre. Descendo ao rio para lavar os pés, eis que um enorme peixe se lançou sobre ele para devorá-lo. Aterrorizado, Tobias gritou, dizendo: ‘Senhor, ele lança-se sobre mim.’ O anjo disse-lhe: ‘Pega-o pelas guelras e puxa-o para ti.’ Tobias assim o fez. Arrastou o peixe para a terra, o qual se pôs a saltar aos seus pés. O anjo então disse-lhe: ‘Abre-o, e guarda o coração, o fel e o fígado, que servirão para remédios muito eficazes. Ele assim o fez. A seguir ele assou uma parte da carne do peixe, que levaram consigo pelo caminho. Salgaram o resto, para que lhes bastasse até chegarem a Ragés, na Média.’ Entretanto, Tobias interrogou o anjo: ‘Azarias, meu irmão, peço-te que me digas qual é a virtude curativa dessas partes do peixe que me mandaste guardar.’ O anjo respondeu-lhe: ‘Se puseres um pedaço do coração sobre brasas, a sua fumaça expulsará toda espécie de mau espírito, tanto do homem como da mulher, e impedirá que ele volte de novo a eles. Quanto ao fel, pode-se fazer com ele um ungüento para os olhos que têm uma belida, porque ele tem a propriedade de curar.’” 

Quinto dia: (Tobias 6, 10-22) Rafael une Tobias e Sara: “Em seguida Tobias disse-lhe: ‘Onde queres que pousemos?’ Respondeu o anjo: ‘Há aqui, um homem de tua tribo e de tua família, chamado Raguel, que tem uma filha chamada Sara; além dela não tem mais filha. Todos os seus bens te devem pertencer: mas é preciso que a recebas por mulher. Pede-a, pois, ao seu pai, e ele ta dará por mulher.’ Tobias replicou: ‘Ouvi dizer que ela já teve sete maridos, e que todos morreram. Diz-se mesmo que foi um demônio que os matou, por isso eu temo que o mesmo venha a me acontecer, a mim que sou filho único, e desse modo faça descer lamentavelmente a velhice de meus pais à habitação dos mortos.’ O anjo respondeu-lhe: ‘Ouve-me, e eu te mostrarei sobre quem o demônio tem poder: são os que se casam, banindo Deus de seu coração e de seu pensamento, e se entregam à sua paixão como o cavalo e o burro, que não têm entendimento: sobre estes o demônio tem poder. Tu, porém, quando te casares e entrares na câmara nupcial, viverás com ela em castidade durante três dias, e não vos ocupareis de outra coisa senão de orar juntos. Na primeira noite, queimarás o fígado do peixe, e será posto em fuga o demônio. Na segunda noite, serás admitido na sociedade dos santos patriarcas. Na terceira noite, receberás a bênção que vos dará filhos cheios de saúde. Passada esta terceira noite, aproximar-te-ás da jovem no temor ao Senhor, mais com o desejo de ter filhos que o ímpeto da paixão. Obterás assim para os teus filhos a bênção prometida à raça de Abraão.’” 

Sexto dia: (Tobias 8, 1-6. 16-19.23) Rafael liberta Sara do demônio: “Depois do jantar, introduziram o jovem no aposento de Sara. E Tobias, fiel às indicações do anjo, tirou do seu alforje uma parte do fígado e o pôs sobre brasas acesas. Nesse momento, o anjo Rafael tomou o demônio e prendeu-o no deserto do Alto Egito. Então Tobias encorajou a jovem com estas palavras: ‘Levanta-te, Sara, e roguemos a Deus, hoje, amanhã e depois de amanhã. Estaremos unidos a Deus durante essas três noites. Depois da terceira noite consumaremos nossa união, porque somos filhos dos santos patriarcas, e não nos devemos casar como os pagãos que não conhecem a Deus.’ Levantaram-se, pois, ambos, e oraram juntos fervorosamente para que lhes fosse conservada a vida. E Raguel com sua mulher Edna louvaram o Senhor, dizendo: ‘Nós vos bendizemos, Senhor Deus de Israel, porque não se realizou o que temíamos. Usastes conosco de vossa misericórdia, expulsando para longe de nós o inimigo que nos perseguia, e tivestes piedade de dois filhos únicos. Fazei, ó Senhor, que eles vos bendigam sempre mais, e vos ofereçam um sacrifício de louvor pela sua conservação, a fim de que todas as nações pagãs conheçam que vós sois o único Deus de toda a terra.’ E instou com Tobias que ficasse com ele duas semanas.” 

Sétimo dia: (Tobias 11, 1-17) Rafael cura Tobit: “De regresso, chegaram no décimo primeiro dia de viagem a Caserim, que está a meio caminho na direção de Nínive. O anjo disse então: ‘Tobias, meu irmão, tu sabes em que estado deixaste o teu pai. Se for do teu agrado, poderíamos tomar a dianteira, deixando a tua mulher, os servos e os rebanhos seguirem devagar pelo caminho.’ Tendo Tobias concordado com esse parecer, Rafael disse-lhe: 'Leva contigo o fel do peixe, porque vais precisar dele.' Tomou, pois, Tobias o fel e partiram. Entretanto, Ana ia todos os dias assentar-se perto do caminho, no cimo de uma colina, de onde podia ver ao longe. Ela espreitava ali a volta de seu filho, quando o viu de longe que voltava e o reconheceu. Correu ao seu marido e disse-lhe: 'Eis que aí vem o teu filho!' Ora, Rafael tinha dito a Tobias: ‘Logo que entrares em tua casa, adorarás o Senhor teu Deus e dar-lhe-ás graças. Irás em seguida beijar teu pai, e pôr-lhe-ás imediatamente nos olhos o fel do peixe que tens contigo. Sabe que seus olhos se abrirão instantaneamente e que teu pai verá a luz do céu. E, vendo-te, ficará cheio de alegria.’ O cão, que os tinha acompanhado durante a viagem, correu então adiante como um mensageiro, e mostrava o seu contentamento fazendo festas e abanando a cauda. O pai cego levantou-se e pôs-se a correr, tropeçando. Dando então a mão a um criado, foi ao encontro de seu filho. Abraçou-o e beijou-o, fazendo o mesmo sua mulher, e ambos começaram a chorar de alegria. Só se assentaram depois de terem adorado e agradecido a Deus. Tobias tomou então o fel do peixe e pô-lo nos olhos de seu pai. Depois de ter esperado cerca de meia hora, começou a sair-lhe dos olhos uma belida branca como a membrana de um ovo. Tobias tomou-a e a arrancou dos olhos de seu pai, o qual recobrou instantaneamente a vista. E louvaram a Deus, ele, sua mulher e todos os que o conheciam: ‘Bendigo-vos, Senhor Deus de Israel, dizia ele, porque depois de me terdes provado, me salvastes: eis que vejo o meu filho Tobias!’” 

Oitavo dia: (Tobias 12, 1-10) Conselhos do Anjo Rafael: “Então Tobit chamou seu filho e disse-lhe: ‘Que havemos nós de dar a esse santo homem que te acompanhou?’ ‘Meu pai, respondeu ele, que gratificação lhe havemos de dar? Que presente poderá igualar os seus benefícios? Ele levou-me e trouxe-me em boa saúde; foi receber o dinheiro de Gabael; fez-me ter uma mulher e afugentou dela o demônio; encheu de alegria os seus pais; livrou-me de ser devorado pelo peixe, e fez-te rever a luz do céu; enfim, ele cumulou-nos de toda a sorte de benefícios. Que presente poderia igualar a tudo isso? Rogo-te, meu pai, que lhe peças se digne aceitar a metade de tudo o que trouxemos.’ Chamaram-no, pois, o pai e o filho, e, tomando-o à parte, rogaram-lhe que aceitasse a metade de tudo o que tinham trazido. Então ele falou-lhes discretamente: ‘Bendizei o Deus do céu, e dai-lhe glória diante de todo o ser vivente, porque ele usou de misericórdia para convosco. Se é bom conservar escondido o segredo do rei, é coisa louvável revelar e publicar as obras de Deus. Boa coisa é a oração acompanhada de jejum, e a esmola é preferível aos tesouros de ouro escondidos, porque a esmola livra da morte. Ela apaga os pecados e faz encontrar a misericórdia e a vida eterna. Aqueles, porém, que praticam a injustiça e o pecado são os seus próprios inimigos.’” 

Nono dia: (Tobias 12, 11-22) Rafael se revela como Anjo enviado por Deus: “O Anjo Rafael disse a Tobias e Tobit: 'Vou descobrir-vos a verdade, sem nada vos ocultar. Quando tu oravas com lágrimas e enterravas os mortos, quando deixavas a tua refeição e ias ocultar os mortos em tua casa durante o dia, para sepultá-los quando viesse a noite, eu apresentava as tuas orações ao Senhor. Mas porque eras agradável ao Senhor, foi preciso que a tentação te provasse. Agora o Senhor enviou-me para curar-te e livrar do demônio Sara, mulher de teu filho. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor.’ Ao ouvir estas palavras, eles ficaram fora de si, e, tremendo, prostraram-se com o rosto por terra. Mas o anjo disse-lhes: ‘A paz esteja convosco: não temais. Quando eu estava convosco, eu o estava por vontade de Deus: rendei-lhe graças, pois, com cânticos de louvor. Parecia-vos que eu comia e bebia convosco, mas o meu alimento é um manjar invisível, e minha bebida não pode ser vista pelos homens. É chegado o tempo de voltar para aquele que me enviou: vós, porém, bendizei a Deus e publicai todas as suas maravilhas.’ Acabando de dizer estas palavras, desapareceu diante deles, e eles não viram mais nada. Durante três horas permaneceram prostrados por terra, bendizendo a Deus. Depois levantaram-se e publicaram todas essas maravilhas.”

Aparições de São Rafael Arcanjo no mundo: São Rafael Arcanjo é o protetor da cidade de Córdoba, Espanha. Ele apareceu várias vezes ao padre Roelas em 1578. A cidade passava por grande epidemia e muitas pessoas morriam. Em 7 de maio, São Rafael apareceu e disse: Eu te juro, por Jesus Crucificado, que sou Rafael, Anjo a quem Deus colocou por guarda desta cidade.” Depois disso, as pessoas não morreram mais de peste. Em 1575, foram descobertas muitas relíquias de mártires na Basílica Menor de São Pedro. Elas estavam agrupadas em uma fossa comum. São Rafael apareceu e disse que eram de mártires cristãos. Em 1583, durante o Concilio de Toledo, foi comprovado que eram realmente autênticas.

Ladainha de São Rafael Arcanjo: 
Senhor, tende piedade de nós. 
Cristo, tende piedade de nós. 
Senhor, tende piedade de nós. 
Jesus Cristo, ouvi-nos. 
Jesus Cristo, atendei-nos. 
Deus, Pai do Céu, tende piedade de nós. 
Deus Filho, Redentor do mundo, tende piedade de nós. 
Deus, Espírito Santo, tende piedade de nos. 
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, 
Santa Maria, Rainha dos Anjos, rogai por nós. 

São Rafael, anjo da Saúde, rogai por nós. 
São Rafael, um dos sete espíritos que estão sempre diante do trono de Deus, rogai por nós. 
São Rafael, fiel condutor de Tobias, rogai por nós. 
São Rafael, que afastais para longe de nós os espíritos malignos, rogai por nós. 
São Rafael, que levais nossas preces ao trono de Deus, rogai por nós. 
São Rafael, que curastes a cegueira de Tobias, rogai por nós. 
São Rafael, auxílio nas tribulações, rogai por nós. 
São Rafael, consolo nas necessidades, rogai por nós. 
São Rafael, que tornais felizes os Vossos devotos, rogai por nós. 

Jesus Cristo, felicidade dos anjos, perdoai-nos. 
Jesus Cristo, gloria dos espíritos celestes, ouvi-nos. 
Jesus Cristo, esplendor dos exércitos Celestiais, tende piedade de nós. 

Oremos: Ó Deus, que em Vossa inefável providência fizestes São Rafael o condutor fiel de Vossos filhos em suas viagens, humildemente Vos imploramos que possamos ser conduzidos por ele no caminho da salvação e experimentemos seu auxilio nas doenças da alma e do corpo. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém. 

Créditos: http://www.arcanjomiguel.net

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Festa de Nossa Senhora de Czestochowa

Festa de Nossa Senhora de Czestochowa em 26 de agosto em Divinópolis, Brasil, com orações em sua homenagem.